Intel’s news source for media, analysts and everyone curious about the company.

Primeiro processador do mundo, o Intel® 4004, comemora seu 40º aniversário

Nota aos editores: Acesse http://newsroom.intel.com/docs/DOC-2383 e encontre vídeos e fotos em alta resolução, além de mais informações sobre os 40 anos do microprocessador.

Lançado em 15 novembro de 1971, o Intel ® 4004 inaugurou a era digital. As inovações de silício da Intel continuam mudando a maneira como nos relacionamentos com o planeta e com a tecnologia


Intel Editor’s Day, Praia do Forte, 19 de novembro de 2011 – O PC celebrou 30 anos em 2011 e seu cérebro, o microprocessador, é ainda mais antigo: completou no dia 15 de novembro 40 anos. O primeiro microprocessador – o Intel ® 4004 – foi inventando em 1971. Desde então, o PC vem sofrendo uma transformação para se tornar a ferramenta fenomenal que é atualmente e experimentou uma ascensão meteórica em popularidade e penetração.

O que é um microprocessador?

O microprocessador, também conhecido como Unidade Central de Processamento (CPU, na sigla em inglês), é o cérebro de todos os computadores e muitos dispositivos domésticos e eletrônicos. Múltiplos microprocessadores, trabalhando juntos, são o “coração” de data centers, supercomputadores, produtos de comunicação e outros dispositivos digitais.

O primeiro microprocessador foi o Intel 4004 (ver imagem ao lado), lançado em 1971. O 4004 não era muito poderoso e era utilizado principalmente para realizar operações matemáticas simples em uma calculadora chamada “Busicom”.

Assim como o micro-ondas ou o telefone, os dispositivos com microprocessadores se tornaram tão integrados em nossa vida diária, que não podemos imaginar nossa vida sem eles.

Às vezes é difícil acreditar que há apenas 60 anos, os computadores eram raros e não estavam disponíveis para o público em geral. Não foi até os anos 80 que os computadores entraram em nossas casas e – graças ao microprocessador – realmente causaram um impacto na vida das pessoas.

Atualmente, os microprocessadores modernos podem executar operações extremamente sofisticadas em áreas como meteorologia, aviação, física nuclear e engenharia, além de ocuparem muito menos espaço e fornecerem um desempenho superior.

Ao longo dos últimos 40 anos, os microprocessadores tornaram-se mais rápidos e  poderosos, mas cada vez menores e mais acessíveis.

A fabricação de uma CPU é um processo altamente complexo e exigente que envolve centenas de etapas em “salas limpas”. As salas limpas ou plantas de manufatura, contém ar 1.000 vezes mais limpo do que o da sala de operação de um hospital. A construção de uma planta de manufatura custa cerca de US$ 5 bilhões.

Lei de Moore: “O melhor ainda está por vir…”

         Em 1965, o cofundador da Intel, Gordon Moore, teve uma visão do futuro. Sua previsão, conhecida popularmente como a Lei de Moore, afirma que o número de transistores em um chip dobra a cada dois anos. Esta observação sobre a integração de silício, transformada em realidade pela Intel, tem alimentado a revolução tecnológica global.

         As tecnologias baseadas em silício da Intel, apoiaram o desenvolvimento e a adoção mundial de nossas arquiteturas e plataformas como o padrão da indústria, convertendo a Intel na maior provedora de silício do mundo.

         A experiência com silício e os investimentos da Intel em P&D apoiam esses avanços únicos conseguidos pela Intel desde a criação do seu primeiro microprocessador em 1971, os que nos permitiram dar continuidade à Lei de Moore no futuro e oferecer recursos mais emocionantes nas tecnologias da Intel.

Ultrabook™: um novo marco

Em maio de 2011 a Intel anunciou uma nova categoria de computadores portáteis convencionais, finos e leves, chamada Ultrabook ™ (ver imagem ao lado). Estes computadores igualarão o desempenho e as capacidades dos notebooks de hoje com características semelhantes a dos tablets, proporcionando uma experiência altamente responsiva e segura, em um design fino, leve e elegante. O ™ Ultrabook será moldado pela tecnologia de silício da Intel e pela Lei de Moore, da mesma forma que elas definiram o PC tradicional ao longo dos últimos 40 anos. A Intel espera que 40% dos notebooks para consumidores estejam na categoria de Ultrabook ™ até o final de 2012.

Até 2013, prevemos que o mercado como um todo terá concluído a conversão, e que sistemas excepcionalmente finos, elegantes, rápidos, seguros e robustos representarão a nova norma para todas as faixas de preços.

Acompanhe a ordem cronológica das tecnologias da Intel

  • Em 15 de novembro de 1971 a Intel lança seu primeiro microprocessador: o Intel 4004. O Intel 4004 (i4004), uma CPU de 4 bits, foi o primeiro microprocessador em um único chip, bem como o primeiro disponível comercialmente. Com o Intel 4004, era possível a utilização de placas com 0,25 cm² em um circuito integrado que continha 2300 transistores.
    • O objetivo era reunir em um microprocessador todos os elementos necessários para criar um computador, com exceção dos dispositivos de entrada e saída (teclado, monitor, impressora, etc) impossíveis de miniaturizar.
    • O 4004 foi implementado e projetado por Frederico Faggin entre 1970 e 1971. Desde que uniu-se à Intel, Faggin criou uma nova metodologia de “random logic design” com Silicon Gate, que não existia anteriormente, a qual se utilizou para encaixar o microprocessador em um único chip. Essa metodologia foi usada em todos os primeiros designs de microprocessadores da Intel.
    • O 4004 era muito eficiente para ser usado em calculadoras e dispositivos de controle. Esse primeiro processador tinha características únicas para seu tempo, como a velocidade do clock, que ultrapassava os 100 KHz.
  • No dia 1 de abril de 1972 a Intel anunciava uma versão melhorada do seu processador. Tratava-se do 8008 e a sua principal vantagem frente a outros modelos, foi o poder de incluir mais memória e processar 8 bits. A velocidade do seu clock ultrapassava os 740 KHz.

Em abril de 1974, lançaram o Intel 8080, a sua velocidade de clock ultrapassava os 2 MHz. Depois a Intel anunciou esse tão esperado primeiro computador pessoal, de nome Altair. O processador desse computador multiplicava por 10 o rendimento do anterior, graças aos seus 2 MHz de velocidade.

Em 1977 chega ao mercado o Intel 8085, processador de 8 bits que era binariamente compatível com o anterior i8080, mas exigia menos suporte de hardware, permitindo assim sistemas de microcomputadores mais simples.

Em junho de 1978 e 1979 aparecem os microprocessadores 8086 e 8088, que passaram a formar o IBM PC, que vendeu milhões de unidades.

  • No dia 1 de fevereiro de 1982, a Intel dava um novo rumo para a indústria com o lançamento dos primeiros 80286 (o famoso “286”), com uma velocidade entre 6 e 25 MHz e um design muito mais próximo ao dos atuais microprocessadores. O 286 teve a honra de ser o primeiro microprocessador usado para criar computadores clones em massa e graças ao sistema de “licenças cruzadas”, surgiu o primeiro fabricante de clones, “IBM Compatible”: a Compaq, que utilizando esse microprocessador começou a fabricar equipamentos para escritórios em 1985 e a utilizar os microprocessadores que Intel/IBM levavam ao mercado.
  • Em 16 de outubro de 1985 a Intel lançava o i80386, com arquitetura x86. Ele foi empregado como a unidade central de processamento de dados em muitos computadores pessoais desde meados dos anos 80 até o princípio dos anos 90.
  • Em 1988, a Intel desenvolvia um pouco tarde um sistema simples para a atualização dos antigos 286 graças a aparição do 80386SX, que sacrificava o bus de dados para transformá-lo em um de 16 bits, mas com menor custo. Esses processadores chegaram ao auge com a explosão do ambiente gráfico Windows, desenvolvido pela Microsoft alguns anos antes, mas que não teve a aceitação suficiente por parte dos usuários.
  • No dia 10 de abril de 1989 surgia o Intel 80486DX, novamente com a tecnologia de 32 bits e que oferecia como novidades principais, a incorporação do cache de nível 1 (L1), no próprio chip, o que acelerava enormemente a transferência de dados desse cache ao processador, bem como o surgimento do coprocessador matemático.
  • Em 1989 lançaram o i486, que alcançou velocidades entre 16 e 100 MHz. Eram microprocessadores muito semelhantes aos Intel 80386, com a principal diferença que esses últimos tinham um conjunto de instruções otimizado, uma unidade de ponto flutuante e um cache unificado integrados no próprio circuito integrado do microprocessador, além de uma unidade de interface de bus melhorada.
  • Em 22 de março de 1992 é lançado o “Pentium”, também conhecido pelo codinome P54C. Esses processadores que partiam de uma velocidade inicial de 60 MHz, chegando aos 200 MHz, algo que ninguém havia sido capaz de prever uns anos antes. Com uma arquitetura real de 32 bits, foi usada novamente a tecnologia de .8 micras, com o que se conseguia mais unidades em menos espaço.
  • Em 27 de março de 1995, o processador Pentium Pro deu um novo ar para os servidores de rede e estações de trabalho, assim como ocorrera com o Pentium no segmento doméstico.
  • No dia 7 de março de 1997 a Intel lançou no mercado o Intel Pentium 2, com arquitetura x86, baseado em uma versão modificada do núcleo P6, usado pela primeira vez no Intel Pentium Pro.
  • Em 1998 aparece o primeiro processador Xeon, com o nome Pentium II Xeon, que utilizava tanto o chipset 440GX como o 450NX.
  • Em 26 de fevereiro de 1999 chega o Pentium III, microprocessador de arquitetura i686, com uma modificação do Pentium Pro.
  • Em 20 de novembro de 2000 chega ao mercado o Pentium 4, microprocessador de sétima geração baseado na arquitetura x86 e com um design completamente novo desde o Pentium Pro de 1995.
  • Em 2002 chega o Intel Pentium M, microprocessador com arquitetura x86 (i686), que representa uma mudança radical para a Intel, já que não é uma versão de baixo consumo do Pentium 4, e sim uma versão fortemente modificada do design do Pentium III (que por sua vez é uma modificação do Pentium Pro).
  • No Intel Developer Forum da primavera de 2005 foram lançados os processadores Pentium D, que consiste basicamente em 2 processadores Pentium 4 em um único pacote (2 núcleos Prescott para o core Smithfield e 2 núcleos Cedar Mill para o core Presler).
  • Em 2006 a Intel anunciou a nova geração: Processador Dual-Core Intel Itanium 2, com tecnologia de núcleo duplo. Esse novo processador oferece uma melhoria de 80% no desempenho por watt e é 60% mais rápido que a concorrência. Além disso, a nova geração oferece mais do que o dobro do desempenho da geração anterior de servidores baseados no processador Intel Xeon e é capaz de executar aplicativos de 32 e 64 bits.
  • Em 2008 a Intel anunciou a chegada do Intel Atom, nome de uma linha anteriormente chamda de Silverthorne / Diamondville. Projetados para um processo de fabricação de 45 nm CMOS e voltados para dispositivos móveis para a Internet, ultraportáteis, smartphones e outros dispositivos de baixo consumo.
  • Em 2010 a Intel anunciou os modelos Core i3, i5 e i7 de quatro núcleos (ver imagem ao lado), a família de processadores que atendem os requisitos de processamento de todos os níveis de usuários, dependendo do seu perfil e estilo de vida.
  • Em janeiro de 2011 a Intel lançou a segunda geração da família Core, tecnologia que traz mudanças na memória cache, melhorias no modo Turbo Boost e aperfeiçoamentos na própria arquitetura.

Sobre a Intel

A Intel (NASDAQ: INTC) é líder mundial em inovação. A empresa projeta e fabrica as tecnologias essenciais que servem como base para os dispositivos computacionais de todo o mundo. Mais informações sobre a Intel estão disponíveis em http://newsroom.intel.com/community/pt_br.

Siga a Intel no Twitter: www.twitter.com/intelbrasil

Intel e o logo da Intel são marcas registradas da Intel Corporation nos Estados Unidos e em outros países.

* Outros nomes e marcas são propriedade de seus respectivos donos.

Sobre a Intel

A Intel (NASDAQ: INTC) é líder da indústria e cria tecnologias que mudam o mundo, apoiando o progresso e melhorando a vida das pessoas. Inspirados pela Lei de Moore, trabalhamos continuamente no aprimoramento do design e da fabricação de nossos semicondutores para ajudar clientes e parceiros a encontrar a melhor resposta para seus maiores desafios. Ao incorporar inteligência à nuvem, rede, borda e em todos os dispositivos de computação, fazemos com que o potencial dos dados seja realmente capaz de transformar os negócios e a sociedade. Para saber mais sobre as inovações da Intel, acesse newsroom.intel.com.br e intel.com.br.

© Intel, o logo da Intel e outras marcas Intel são marcas registradas da Intel Corporation ou de suas subsidiárias. Outros nomes e marcas são de propriedade de seus respectivos donos.