CIAB 2018 debate como tirar proveito das novas tecnologias exponenciais

A CIAB se rendeu à pauta da quarta revolução industrial e elegeu o tema Inteligência Exponencial para a edição deste ano. De hoje até quinta-feira, o maior congresso de tecnologia da informação para o setor financeiro da América Latina mostrará como inteligência artificial, machine learning, blockchain e IoT, entre outras tendências digitais, estão transformando este mercado.

Desde 2016, quando o fundador e presidente do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, lançou o livro “A quarta revolução industrial”, abordando como a automação está fundindo os mundos físico, digital e biológico em uma velocidade nunca antes vista, o adjetivo exponencial começou a ser aplicado às inovações que impactam negócios em larga escala e, na maioria das vezes, implicam a geração e a análise de grandes quantidades de dados desestruturados. Certamente, a mais polêmica e imprevisível delas é a inteligência artificial.

No caso dos bancos, que historicamente tem um legado de dados muito completo, o avanço da inteligência artificial representa um novo modelo de gestão de riscos e ativos. Para Carlos Nogueira, sócio-fundador da Intellisearch, consultoria especializada em tecnologia para o mercado financeiro, e pesquisador de IA desde 1994, o termo inteligência exponencial é um pouco exagerado, porque não condiz com um crescimento exponencial de fato e na verdade se refere às situações em que são observados aprendizados computacionais não supervisionados.

“Antes, o critério dos bancos para definir o score de crédito era se a pessoa estava pagando ou não. Somente após a identificação de um não pagamento é que se lidava com o devedor. Hoje, as ferramentas de IA permitem gerir um contrato de crédito durante a sua execução, monitorando o comportamento do consumidor. A gestão atual do ciclo de créditos feita pelos bancos é capaz de dizer se você está entrando em uma situação de estresse financeiro e pode oferecer um produto mais adequado”, explica Nogueira.

“Em algum momento nos próximos meses, a ferramenta de IA sozinha vai analisar a situação do cliente, com base no big data disponível, e já fazer uma proposta customizada, sem a necessidade de qualquer participação humana”, ele antecipa, “a IA está estrando em áreas antes sagradas”.

Como ressalta Alexandre Glikas, diretor geral da Locaweb e da CLluster2GO, neste cenário que exige cada vez maiores capacidades de armazenamento e processamento de informações, investir em tecnologia deixou de ser apenas uma opção e passou a ser uma necessidade básica: “O mercado financeiro não é diferente, é preciso oferecer serviços e soluções integradas, que garantam um maior nível de segurança e assertividade em consultas, investimentos e transações, e estabeleçam conexões mais personalizadas”. “Este movimento, já observamos nas maiores instituições financeiras do mundo na China, onde offloading de mainframe e adoção da arquitetura Intel X86 como padrão estão alavancando um novo modelo de prestação de serviços financeiros digitais”, complementa Maurício Ruiz, diretor geral da Intel no Brasil.

No final do dia, os consumidores ainda são humanos, portanto os reais benefícios dos novos modelos de negócio alavancados pelas tecnologias exponenciais estão diretamente relacionados a como as empresas se comunicam de uma maneira mais assertiva com eles e conseguem atendê-los de forma única.

Após anos de protótipos, as tecnologias de automação e inteligência artificial finalmente dominam as agendas dos CIOs. Serão mais bem-sucedidos, provavelmente, aqueles que souberem combinar o investimento em IA com as transformações de negócio e de comportamento organizacional necessárias.

Sobre a Intel
A Intel (NASDAQ: INTC) amplia os limites da tecnologia para possibilitar as experiências mais incríveis. Informações sobre a Intel podem ser encontradas em newsroom.intel.com e Intel.com.

Intel e o logo da Intel são marcas registradas da Intel Corporation ou suas subsidiárias nos Estados Unidos e/ou outros países.

* Outros nomes e marcas são de propriedade de seus respectivos donos.